Hilary Clinton pagou em parte pelo dossiê Trump-Rússia: Relatório - Dezembro 2021

O dossiê se tornou central para as investigações do Congresso sobre a interferência russa nas eleições de 2016 nos EUA.

Hillary Clinton, Donald Trump, notícias dos EUA, Rússia, EUA, laços EUA-Rússia, eleições dos EUA, notícias do mundo, expresso indianoDonald Trump (à esquerda) e Hillary Clinton. (Fonte: REUTERS)

A campanha presidencial de Hillary Clinton e o Comitê Nacional Democrata ajudaram a pagar por pesquisas que compuseram um dossiê lascivo sobre os supostos vínculos de campanha de Donald Trump com a Rússia, relatou o The Washington Post.

Em abril de 2016, o advogado Marc Elias, trabalhando em nome da campanha de Clinton e do DNC, contratou a empresa Fusion GPS de Washington para examinar as ligações de Trump com a Rússia, de acordo com o relatório.

Os pagamentos continuaram até poucos dias antes da eleição de novembro de 2016. Mesmo antes desse acordo, a pesquisa do Fusion GPS sobre Trump foi financiada por um rival nas eleições primárias presidenciais republicanas. A identidade desse republicano ainda não é conhecida.

A Fusion GPS pediu a um juiz federal que bloqueie um pedido do Comitê de Inteligência da Câmara para obter acesso aos registros bancários da empresa, alegando que isso violaria seus direitos constitucionais.

O dossiê de pesquisa política de 35 páginas, preparado pelo ex-oficial do MI6 Christopher Steele, tornou-se central para as investigações do Congresso sobre a interferência russa nas eleições de 2016 nos EUA.

Trump classificou o dossiê - que contém alegações obscenas, e parcialmente não confirmadas, políticas, financeiras e sexuais - como notícias falsas. No sábado, Trump tweetou que o Departamento de Justiça e o FBI deveriam liberar imediatamente quem pagou por isso.

Dois dias antes, ele refletiu publicamente no Twitter que os democratas podem ter financiado a pesquisa. Trabalhadores de firmas envolvidos com o desacreditado e Fake Dossier ficam com o 5º. Quem pagou por isso, a Rússia, o FBI ou os Dems (ou todos)? o presidente escreveu.