Monge tibetano ateia fogo a si mesmo na China - Dezembro 2021

Pequim acusou o Dalai Lama de incitar as autoimolações para promover o separatismo tibetano.

BUDDHIST-MONK-MEDIUMMuitos tibetanos acusam o governo chinês de reprimir sua religião e cultura. (AP)

Um monge budista tibetano ateou fogo a si mesmo na província de Qinghai, no noroeste da China, que testemunhou uma série de incidentes de autoimolação no passado recente.

O monge vem do Mosteiro Shaderi no condado de Zekog, na Prefeitura Autônoma do Tibete de Huangnan, informou a agência de notícias estatal Xinhua.

Não há informações sobre sua condição.

De acordo com grupos tibetanos estrangeiros, mais de 120 tibetanos se auto-imolaram nos últimos meses, pedindo o retorno do Dalai Lama do exílio na Índia.

Muitos tibetanos acusam o governo chinês de reprimir sua religião e cultura. A China afirma que os tibetanos desfrutam de liberdade religiosa e se beneficiam de melhores padrões de vida vinculados ao investimento chinês em regiões tibetanas subdesenvolvidas.

Pequim acusou o Dalai Lama de incitar as autoimolações para promover o separatismo tibetano. Ele, no entanto, rejeitou e disse que a China deve conduzir uma investigação séria sobre as autoimolações, em vez de colocar a culpa nele.